Assembleia Geral deve declarar ambiente limpo, saudável e sustentável como direito humano | Land Portal

 Projects Abroad/Irene Lily. Especialistas destacam que se tal direito for reconhecido, a vida de bilhões de habitantes do mundo melhoraria

Pedido é de especialistas independentes da organização; Conselho de Direitos humanos fez declaração este ano; medida foi endossada em Estocolmo, em evento que este ano celebrou meio século da conferência da ONU sobre o Meio Ambiente.

Um grupo de especialistas independentes* pediu que a Assembleia Geral da ONU declare que viver em um ambiente limpo, saudável e sustentável é um direito humano.

O órgão debaterá uma proposta de resolução nesse sentido. O rascunho foi apresentado em 27 de junho por cinco países:  Costa Rica, Maldivas, Marrocos, Eslovênia e Suíça.

Crise multifacetada

Em 2021, o Conselho de Direitos Humanos fez tal reconhecimento após décadas de debates com entidades da sociedade civil, grupos de jovens, instituições nacionais de direitos humanos e povos indígenas.

Em nota, os sete peritos destacam que o mundo vive uma crise ambiental multifacetada e a decisão deve ser tomada o quanto antes pelo principal órgão deliberativo das Nações Unidas.

O grupo de peritos independentes crê que essa declaração “catalisaria ações urgentes e rápidas para alcance da justiça ambiental, abordando a crise climática, garantindo e restaurando a natureza e acabando com a poluição”.

O grupo de especialistas destaca que se tal direito for reconhecido, a vida de bilhões de habitantes do mundo melhoraria e o planeta seria mais respeitado, protegido e cumprido.

Nossa Agenda Comum

Para o grupo, por causa do privilégio da vida no planeta o direito a um ambiente saudável pode garantir que governos, empresas e pessoas cuidem melhor dele.

O apelo dos especialistas segue-se a um apelo feito em junho na conferência Estocolmo+50. O evento pediu aos países que reconheçam  e implementem o direito a um ambiente limpo, saudável e sustentável”. 

A mesma posição tem apoio de agências da ONU e “continua sendo uma prioridade para o secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, conforme refletido na Nossa Agenda Comum e no Chamado à Ação sobre Direitos Humanos”.

Liderança 

Mais de 50 especialistas marcaram o Dia Mundial do Meio Ambiente, em 6 de junho de 2021, com um pedido para o reconhecimento de que o planeta “é de fato um direito humano viver em um ambiente limpo, saudável e sustentável”.

Eles defendem que dos 193 membros da ONU, 156 preveem esse direito em constituições, legislação e tratados regionais.
Para os relatores, é momento de a Assembleia Geral das Nações Unidas liderar a ação “reconhecendo que todo ser humano tem o direito de viver em um ambiente saudável”.

*Os relatores de direitos humanos são independentes das Nações Unidas e não recebem salário pelo seu 
 

 Copyright © Fuente (mencionado anteriormente). Todos los derechos reservados. El Land Portal distribuye materiales sin el permiso del propietario de los derechos de autor basado en la doctrina del "uso justo" de los derechos de autor, lo que significa que publicamos artículos de noticias con fines informativos y no comerciales. Si usted es el propietario del artículo o informe y desea que se elimine, contáctenos a hello@landportal.info y eliminaremos la publicación de inmediato.



Varias noticias relacionadas con la gobernanza de la tierra se publican en el Land Portal cada día por los usuarios del Land Portal, de diversas fuentes, como organizaciones de noticias y otras instituciones e individuos, que representan una diversidad de posiciones en cada tema. El derecho de autor reside en la fuente del artículo; La Fundación Land Portal no tiene el derecho legal de editar o corregir el artículo, y la Fundación tampoco espalda sus contenidos. Para hacer correcciones o pedir permiso para volver a publicar u otro uso autorizado de este material, por favor comuníquese con el propietario de los derechos de autor.

Comparta esta página