A escalada da violência e das crises econômicas agravam a crise da fome | Land Portal

Foto: Jeff Adams e Michael Adams/ncpriest/Flickr (CC BY-NC 2.0 DEED)

Porto Príncipe/Santiago do Chile – O Haiti está atolado em um agravamento da crise humanitária, com quase metade da população enfrentando insegurança alimentar aguda, de acordo com a última análise da Classificação da Fase de Segurança Alimentar Integrada (IPC). A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) alerta para consequências terríveis se não forem tomadas medidas urgentes para resolver as causas profundas desta crise.

Cerca de 4,97 milhões de pessoas vivenciam ou poderão vivenciar elevados níveis de insegurança alimentar aguda entre março e junho de 2024. Destas, 1,64 milhão de pessoas (17% da população analisada) estão classificadas na fase 4 (emergência) da IPC, que se concentram principalmente em oito áreas, incluindo o Vale Artibonite, as áreas rurais de La Grand'Anse, La Gonâve, a parte transversal do Oeste e os bairros empobrecidos de Cité Soleil, Croix de Bouquets e Porto Príncipe. Estes números mostram uma grave deterioração da segurança alimentar no Haiti, com mais 532 mil pessoas sofrendo de insegurança alimentar aguda em comparação com estimativas anteriores para o mesmo período.

A crise da fome é alimentada por uma miríade de fatores, incluindo a escalada da violência dos bandos armados, crises econômicas, baixos rendimentos agrícolas, precipitações abaixo da média, os efeitos persistentes da crise de Agosto de 2021, juntamente com inundações sucessivas e acesso reduzido à ajuda humanitária. A violência perpetrada por grupos armados intensificou-se nos últimos meses, levando ao deslocamento interno de aproximadamente 362 mil pessoas, 50 mil delas deslocadas nos últimos três meses, segundo a Organização Internacional para as Migrações (OIM). 

Esta escalada de violência não só perturba a circulação de mercadorias e restringe o acesso aos mercados, mas também inflaciona os preços dos alimentos essenciais num contexto já frágil. O fenômeno El Niño agravou os problemas agrícolas, afetando especialmente os produtores agrícolas.

Os atrasos na estação chuvosa e os défices de precipitação afetaram significativamente o resultado da temporada de primavera de 2023, que normalmente representa metade da produção agrícola nacional. As fortes chuvas e as graves inundações em meados de novembro de 2023 danificaram colheitas, casas e infraestruturas. Os défices na produção agrícola local e as disfunções na cadeia de abastecimento do mercado mantiveram os preços dos alimentos elevados, dificultando o acesso aos alimentos. Em 2023, a produção agrícola caiu cerca de 39% para o milho, 34% para o arroz e 22% para o sorgo, em comparação com a média de cinco anos.

A agricultura é um meio de subsistência vital para os haitianos, já que mais de 75% das pessoas com maior insegurança alimentar residem em áreas rurais. É necessário apoio urgente para impulsionar a produção agrícola e pecuária, garantindo a disponibilidade e o acesso aos alimentos às famílias e comunidades agrícolas vulneráveis.

Os Ministros e Vice-Ministros da América Latina e do Caribe, reunidos na 38ª Conferência Regional da FAO para a América Latina e o Caribe, realizada na cidade de Georgetown, Guiana, de 18 a 21 de março, abordaram a situação no Haiti e incluíram uma resolução específica sobre este tema: “Expressamos a nossa solidariedade com a República do Haiti pela deterioração da situação humanitária que compromete a segurança alimentar e nutricional, bem como os meios de subsistência da sua população”.

O Vice-Diretor Geral da FAO e Representante Regional para a América Latina e o Caribe, Mario Lubetkin, garantiu que “somos consistentes com as demandas dos países quanto à prioridade que devemos dar à situação crítica no Haiti”.

A FAO, com os seus escritórios locais e equipes ativamente presentes no terreno, continua a acompanhar de perto a situação e a fornecer apoio agrícola essencial para as próximas épocas de plantio. A FAO também está pronta para fornecer assistência crítica (ou seja, transferências monetárias juntamente com sementes e ferramentas vegetais) às populações vulneráveis, tanto deslocadas como residentes, em áreas urbanas e periurbanas de Porto Príncipe, para satisfazer as suas necessidades básicas e restaurar seus meios de subsistência agrícola.

 Copyright © Fuente (mencionado anteriormente). Todos los derechos reservados. El Land Portal distribuye materiales sin el permiso del propietario de los derechos de autor basado en la doctrina del "uso justo" de los derechos de autor, lo que significa que publicamos artículos de noticias con fines informativos y no comerciales. Si usted es el propietario del artículo o informe y desea que se elimine, contáctenos a hello@landportal.info y eliminaremos la publicación de inmediato.



Varias noticias relacionadas con la gobernanza de la tierra se publican en el Land Portal cada día por los usuarios del Land Portal, de diversas fuentes, como organizaciones de noticias y otras instituciones e individuos, que representan una diversidad de posiciones en cada tema. El derecho de autor reside en la fuente del artículo; La Fundación Land Portal no tiene el derecho legal de editar o corregir el artículo, y la Fundación tampoco espalda sus contenidos. Para hacer correcciones o pedir permiso para volver a publicar u otro uso autorizado de este material, por favor comuníquese con el propietario de los derechos de autor.

Comparta esta página