Revista de Economia e Sociologia Rural | Land Portal
RESR
Acronym: 
RESR
Phone number: 
+55(61)3327-1579

Ubicación

Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural (SOBER)
SRTN, Av. W/3 Norte, Quadra 702 Ed. Brasília Rádio Center, salas 1049-1050
BRASILIA , Distrito Federal
Brasil
Distrito Federal BR
Working languages: 
portugués

A Revista de Economia e Sociologia Rural (RESR) é uma publicação mantida pela Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural (Sober) há mais de trinta anos. Os colaboradores e leitores da RESR são professores, pesquisadores de empresas públicas, alunos de pós-graduação e profissionais de mercado.

Os artigos publicados pela RESR são trabalhos originais, escritos em português ou inglês, de natureza científica sobre assuntos relacionados à agricultura, à agroindústria e às questões rurais. A RESR é publicada trimestralmente e cobre uma variedade de tópicos relacionados à agricultura como:

  • Economia e gestão do agronegócio;
  • Comercialização, mercados e preços;
  • Políticas macroeconômicas e agronegócio;
  • Comércio internacional do agronegócio;
  • Agropecuária, meio ambiente e desenvolvimento sustentável;
  • Estrutura e dinâmica dos sistemas agroalimentares e cadeias agroindustriais;
  • Agricultura familiar e ruralidade.

 

A Comissão de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) classifica, através do Qualis, a qualidade dos periódicos científicos. Os periódicos são classificados nos seguintes indicadores de altos estratos: A1, A2; A3; A4, sendo considerados de baixos estratos as classificações: B1; B2; B3; B4 e C. A Revista de Economia e Sociologia Rural (RESR) tem uma classificação Qualis geral A3 para o quadriênio CAPES de 2017 a 2020.

Regulamento Interno da RESR

Este documento detalha os procedimentos operacionais e editoriais da RESR e serve de delineador para a atuação do Editor, dos membros do Conselho e Comitê Editorial, assim como guia para os leitores e autores.

 

INDICAÇÃO DO EDITOR E DETALHAMENTO DE PERFIL DESEJADO

O indicado ao cargo de editor da RESR deve ser sócio da Sober, quite com suas obrigações. A indicação do Editor é responsabilidade do Conselho e do Comitê Editorial da RESR, sendo o nome ratificado pela Diretoria da Sober em sua reunião ordinária anual.

O Editor deve ser um pesquisador reconhecido pela comunidade soberiana, com histórico de atuação como revisor e autor de artigos na RESR e em outros periódicos e, preferencialmente, com efetiva participação na Comissão Científica dos Congressos da Sober e no Comitê e/ou Conselho Editorial da RESR, entre outras atividades da sociedade.

Além das características acima, o Editor deverá demonstrar compromisso institucional, dando sequência às propostas de melhoria do periódico e do processo de seleção de trabalhos para publicação.

A escolha do Editor considerará a sua filiação institucional, a região de origem e a área de atuação dos Editores anteriores, para que se possa priorizar a representatividade institucional, regional e de área de atuação.

MANDATO

O mandato do Editor da RESR é de 2 (dois) anos, sendo permitida a prorrogação por mais 2 anos.

REMUNERAÇÃO

O cargo de Editor da RESR não é remunerado. O Editor poderá ser ressarcido pela SOBER pelas eventuais despesas de representação, sempre que justificadas. O procedimento de prestação de contas será definido pela diretoria executiva.

ATIVIDADES DO EDITOR

O Editor deve zelar pela aplicação da Política Editorial da RESR, contando com o auxílio do Comitê e do Conselho Editorial. Em caso de necessidade, o Editor poderá sugerir mudanças ao Conselho Editorial solicitando a ratificação das mesmas pela maioria dos conselheiros.

O Editor deve se responsabilizar pela íntegra do processo de avaliação dos artigos, desde a submissão até a divulgação da decisão editorial (aceitação e/ou rejeição).

O Editor avaliará, de início, o enquadramento dos artigos submetidos nas normas estabelecidas pela RESR (“desk review”), avaliando a sua adequação à linha editorial da Revista, podendo recusar a submissão caso os critérios não sejam atendidos.

Uma vez iniciado o processo de avaliação, o Editor encaminhará os textos para a primeira avaliação por um membro do Comitê/Conselho Editorial da RESR, que indicará os avaliadores.

O Editor analisará a fundamentação dos pareceres, bem como se trazem contribuições para a melhoria do texto. Todos os eventuais conflitos deverão ser mediados pelo Editor. Caberá ao Editor julgar se o procedimento deve ser retomado, em caso de necessidade ou de pareceres não conclusivos.

É dever do Editor:

  1. Esforçar-se para melhorar o conteúdo científico do periódico;

  2. Orientar os autores sobre os procedimentos esperados;

  3. Publicar e atualizar sempre que necessário as diretrizes do processo de avaliação por pares;

  4. Zelar pelo cumprimento dos prazos de emissão de pareceres;

  5. Não reverter decisões de Editores anteriores – a menos que problemas muito graves sejam identificados no manuscrito;

  6. Estimular e dar oportunidade a publicações de réplicas e tréplicas que desafiem ou critiquem trabalhos publicados, incitando o debate científico;

  7. Assegurar que o material a ser aceito para publicação esteja em conformidade com normas éticas internacionalmente aceitas;

  8. Nunca permitir que interesses individuais e de instituições comprometam a qualidade da RESR;

  9. Agir sempre que suspeitar de má conduta e recolher materiais fraudulentos;

  10. Elaborar sistemas de gestão de conflitos de interesses entre todos os envolvidos no processo de avaliação;

  11. Disponibilizar um mecanismo de ouvidoria para autores e público;

  12. Adequar a estrutura de gestão da revista sempre que for possível e que existirem inovações disponíveis.

 

Revista de Economia e Sociologia Rural Resources

Mostrando 1 - 1 de 1
Library Resource
RESR

uma proposta institucionalista para ampliar a governança fundiária

Artículos de revistas y libros
Enero, 2012
América del Sur, Brasil
O artigo discute, sob uma perspectiva institucionalista, a dimensão do problema fundiário brasileiro expresso pela fragilidade dos direitos de propriedade da terra rural. Além dos condicionantes históricos referidos no texto, o artigo chama a atenção para o papel das instituições de registro e cadastro de imóveis que, por estarem separadas e não integradas, favorecem as práticas de fraude, apossamento e potencializam os conflitos fundiários.

Comparta esta página