Brésil related Blog post | Land Portal
Affichez 253 - 264 de 264
Brésil

“Caro Gilmar, o direito de posse das terras indígenas brasileiras é anterior ao direito de propriedade de qualquer latifundiário do agronegócio. Semelhantemente, as terras reivindicadas pelos quilombolas devem ser respeitadas por uma questão de justiça, já que se trata de populações trazidas para o país à força pelos Governos dos latifundiários. O capitulo da Reforma Agrária, da demarcação das terras indígenas e quilombolas nunca vai se encerrar, enquanto houver latifúndio e agronegócio.

Brésil

Para os Tupinambá, a luta em defesa do território é por todos. Se a mata for derrubada, os efeitos negativos atingirão a todos os moradores, e não distinguirão indígenas de não-indígenas 

Por Fábio Zuker, no Nexo

When indigenous peoples have access and rights to their lands, nature and people are better off Image: REUTERS/Roosevelt Cassio
Bolivie
Brésil
Colombie
Global

By Gina Cosentino, Social Development Specialist, World Bank and Climate Investment Funds

Everything old is new again, at least when it comes to searching for workable and proven solutions to addressing climate change. Indigenous peoples have developed, over time, innovative climate-smart practices rooted in traditional knowledge and their relationship with nature.

Angola
Brésil
Cap-Vert
Guinée équatoriale
Guinée-Bissau
Mozambique
Portugal
Sao Tomé-et-Principe
Timor-Leste

A parceria entre a ACTUAR – Associação para a Cooperação e o Desenvolvimento e a Fundação Land Portal esteve presente no II Fórum da Agricultura Familiar e da Segurança Alimentar e Nutricional na Comunidade de Países de Língua Portuguesa (FAFSAN II - CPLP), realizado em Lisboa entre os dias 26 e 30 de setembro de 2016,onde foi dada oportunidade de apresentar o Land Portal e as suas funcionalidades Land Library, Land Book e Land Debate como instrumentos ao serviço da boa Governança da Terra e estrutura de conhecimento

@Daniel Beltra/Greenpeace
Brésil

Date: 20 mai 2016

Source: Greenpeace

Nous avons fait campagne pendant dix ans, et le résultat est enfin là. Le 9 mai dernier, les principaux négociants de soja, un groupe d’ONG dont Greenpeace et le gouvernement brésilien ont prolongé un accord qui met un terme à la déforestation à grande échelle au profit des plantations de soja dans l’Amazonie brésilienne. C’est une belle victoire !

Partagez cette page