Angola atua com agências da ONU para salvar gado dos efeitos da seca | Land Portal

Foto: Juli/Flickr

Aposta é criar sistema inteligente de gerenciamento de pastagens para o clima usando tecnologias nucleares e técnicas relacionadas; cooperação com Aiea e FAO acontece diante da seca mais grave dos últimos 40 anos no sul do país.


Angola atua com a Agência Internacional de Energia Atômica, Aiea, e a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, em parceria para mitigar os efeitos da seca prolongada que afeta a região sul.

Cinco anos consecutivos de aridez já causaram a morte do gado, dizimaram colheitas e afetaram cerca de 1,6 milhão de pessoas.

Meios de subsistência e segurança alimentar

A atual seca, aliada à piora das condições climáticas, é considerada a responsável pelos maiores danos ocorridos na produção animal nessa região em 40 anos.

A Cruz Vermelha considerou o cenário “catastrófico” para as pastagens e a produção de gado dos pequenos proprietários. Os meios de subsistência dos agricultores e a segurança alimentar do país foram abalados.

Na mais recente Assembleia Geral da ONU, Angola anunciou investimentos em infraestruturas económicas e sociais no sul. Uma delas é o Aqueduto na Província do Cunene. A obra beneficiou 350 mil angolanos, seu gado e sistemas de regadio.

No entanto, a Aiea destaca a grave escassez de água durante a estação seca de Angola. Cerca de 80% dos proprietários de gado da região, na maioria de pequena escala, percorrem grandes distâncias para encontrar pastos para os animais.

Risco de variações e mudanças climáticas

A nova iniciativa quer responder a uma realidade onde o sistema extensivo de criação e produção de gado depende fortemente do pastoreio em pastagens naturais em risco de variações e mudanças climáticas.

Em dois anos, a meta da cooperação técnica é desenvolver um sistema inteligente de gerenciamento de pastagens para o clima usando tecnologias nucleares e técnicas relacionadas.

Para o diretor do Instituto de Pesquisa Veterinária de Angola, Joaquim Ipanga Nganza,  o país e seus pequenos agricultores carecem de “soluções mais inteligentes para se adaptar a todas as variações e mudanças do clima”.

A solução é partilhada pelo líder do projeto e especialista em reprodução de gado no Centro Conjunto FAO/Aiea de Técnicas Nucleares em Alimentos e Agricultura.

Victor Tsuma defende o uso de recursos do projeto porque “oferecem vantagens substanciais sobre as técnicas convencionais e podem ajudar a projetar uma dieta balanceada para o gado com uma mistura de pastagens naturais e suplementos”.

Agricultura climaticamente inteligente

Uma das vantagens da nova iniciativa é o potencial de aumentar a produtividade do gado e estabelecer uma base para uma agricultura climaticamente inteligente em Angola.

O especialista disse ainda que o projeto usará “técnicas isotópicas de carbono estáveis e espectroscopia de refletância no infravermelho próximo para identificar o valor nutritivo das pastagens locais consumidas pelo gado”.

As formas não radioativas de átomos podem ter diversos aproveitamentos e avaliações. Aplicada a metodologia, os cientistas poderão medir as concentrações de isótopos estáveis nas plantas consumidas pelos animais e compará-las com amostras fecais para determinar o que tiver sido ingerido pelo gado.

Além disso,  o método que apoia o acompanhamento isótopos de carbono também pode prever o uso da matéria seca pelo gado e ajudar a desenvolver um perfil vegetal desse consumo.


 

Copyright © Source (mentioned above). All rights reserved. The Land Portal distributes materials without the copyright owner’s permission based on the “fair use” doctrine of copyright, meaning that we post news articles for non-commercial, informative purposes. If you are the owner of the article or report and would like it to be removed, please contact us at hello@landportal.info and we will remove the posting immediately.

Various news items related to land governance are posted on the Land Portal every day by the Land Portal users, from various sources, such as news organizations and other institutions and individuals, representing a diversity of positions on every topic. The copyright lies with the source of the article; the Land Portal Foundation does not have the legal right to edit or correct the article, nor does the Foundation endorse its content. To make corrections or ask for permission to republish or other authorized use of this material, please contact the copyright holder.