Skip to main content

page search

News & Events Compatibilidade de dados entre degradação de terras e segurança da posse
Compatibilidade de dados entre degradação de terras e segurança da posse
Compatibilidade de dados entre degradação de terras e segurança da posse

Na floresta dos Três Rios no norte do Benin, o início da estação agrícola é um cenário frequente de conflitos entre as comunidades locais e as autoridades florestais. 

É neste momento que são feitas exigências de taxas florestais dando permissão aos residentes para cultivar os campos ou pastar seu gado. No entanto, é exatamente neste momento que os(as) agricultores(as) experimentam um aperto financeiro na preparação de suas terras e na obtenção de insumos para iniciar a nova estação.

A queixa é agravada pelo fato de que os pagamentos exigidos pelos funcionários são informais, aproximando-se a dez vezes as taxas promovidas em um Plano de Manejo Florestal Participativo. A quebra de confiança resultante entre os dois lados não surpreende.

O que esta história tem a ver com a decisão de alinhar a ação sobre a degradação da terra e a segurança da posse, ou seja, usando as Diretrizes Voluntárias sobre a Governança Responsável da posse da Terra, Pesca e Florestas (VGGTs) para ajudar a alcançar a Neutralidade da Degradação da Terra (LDN)? Na verdade muito. 

São precisamente este tipo de conflitos localizados que não estão representados em conjuntos de dados em larga escala observando a governança e a degradação da terra. Esta história de dados investiga como os dados são coletados e disponibilizados para monitorar a degradação da terra, e os desafios enfrentados na busca de uma interface adequada com os dados sobre a segurança da posse da terra.

Veja esta história de dados em tela cheia. 

Uma versão em PDF desta história de dados estará disponível em breve.