FAO implementa iniciativa agrícola de mais de US$ 32 milhões em Moçambique | Land Portal | Securing Land Rights Through Open Data
Produtores de Nampula e Zambézia devem melhorar qualidade das safras para chegar a mercados internacionais; Projeto Promove Agribiz deve beneficiar 60 mil agricultores com fundos da União Europeia.*Produtores de Nampula e Zambézia devem melhorar qualidade das safras para chegar a mercados internacionais; Projeto Promove Agribiz deve beneficiar 60 mil agricultores com fundos da União Europeia.*
 
Moçambique formalizou esta quarta-feira um projeto de US$ 32 milhões  que pretende melhorar a competitividade rural nas províncias de Nampula, no norte, e Zambézia, no centro do país.
 
O Fundo das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, assinou o memorando do projeto Promove Agribiz com o Ministério da Agricultura e Segurança Alimentar do país.
 
Distritos
 
Em declarações a jornalistas, em Maputo, orepresentante da FAO em Moçambique, Olman Serrano, explicou como irá funcionar a iniciativa.
 
“O projeto Agrobiz será implementado pela FAO junto de outros parceiros. A FAO no projeto tem orçamento de €29 milhões, mais ou menos US$ 32 milhões, e tem uma duração de cinco anos sendo implementado em 10 distritos nas províncias de Zambézia e Nampula.”
 
Olman Serrano elogiou os esforços do governo moçambicano e o apoio da União Europeia ao destacar a importância da nova iniciativa envolvendo dezenas de milhares de beneficiários.
 
Vantagens
 
“O projeto vai apoiar diretamente aos agricultores familiares, não só para aumentar a produção e produtividade, mas também para atingir os mercados. Os beneficiários são cerca de 60 mil pessoas que são produtores agrícolas e também entidades de setores públicos e privados no setor agrário. Este apoio contínuo da União Europeia e a FAO em Moçambique é fundamental para fazer face aos desafios que o setor agrário está a enfrentar.”
 
O representante da agência da ONU destacou ainda as vantagens da vertente nutricional do Promove Agribiz.
 
“Irá contribuir para reforçar o sistema nacional de sementes com ênfase na melhoria do quadro regulatório da capacidade institucional no reforço do diálogo público e privado e de conhecimento à capacidade dos produtores locais. Obviamente, não podemos deixar a parte nutricional, vamos trabalhar na melhoria de conhecimento e adoção de práticas de nutrição e segurança dos alimentos que constituem uma grande preocupação em termos de saúde e acesso aos mercados.”
 
ONU Moçambique/Emídio Josine

Moçambique reduziu em 32% o nível de insegurança alimentar e o número de pessoas com fome nos últimos 10 anos.

Mercados 
 
Nas duas províncias mais povoadas de Moçambique, a iniciativa pretende reforçar a resiliência dos pequenos produtores colocando sementes de qualidade ao dispor dos produtores.
 
Outras metas da iniciativa são abrir portas para mercados internacionais, reforçar a cadeia de valor agroalimentar e melhorar os índices de desnutrição no país onde mais de 500 mil pessoas não sabem o que comer na próxima refeição.
 
*De Maputo para ONU News, Ouri Pota.

 

Share this page

Copyright © Source (mentioned above). All rights reserved. The Land Portal distributes materials without the copyright owner’s permission based on the “fair use” doctrine of copyright, meaning that we post news articles for non-commercial, informative purposes. If you are the owner of the article or report and would like it to be removed, please contact us at hello@landportal.info and we will remove the posting immediately.

Various news items related to land governance are posted on the Land Portal every day by the Land Portal users, from various sources, such as news organizations and other institutions and individuals, representing a diversity of positions on every topic. The copyright lies with the source of the article; the Land Portal Foundation does not have the legal right to edit or correct the article, nor does the Foundation endorse its content. To make corrections or ask for permission to republish or other authorized use of this material, please contact the copyright holder.