Índia garante financiamento à agricultura (Angola) | Land Portal | Protegendo os direitos da terra através de dados abertos

A Índia  dispõe de uma linha de crédito de dez mil milhões de dólares, num período de cinco anos, com vista a acelerar  a cooperação com Angola, sobretudo no sector da agricultura, disse ontem, em Luanda, o embaixador indiano em Angola.

Sushil Kumar Singhal disse, num encontro promovido pela Câmara de Comércio e Indústria Angola-Índia, que o seu país está em consultas com o Governo de Angola para o desenvolvimento de projectos que beneficiem da linha de crédito em condições favoráveis.

O financiamento foi anunciado pela primeira vez em 2015, na terceira cimeira do Fórum Índia e África, na qual os dois países discutiram o acordo no domínio da agricultura e sectores que vão permitir intensificar a cooperação através da transferência de tecnologia adequada e acessível, nas melhores técnicas agrícolas e produtividade, gestão eficaz e eficiente dos recursos hídricos.

Além do financiamento, a Índia apoia Angola com tecnologia espacial para aplicações  na agricultura, nas áreas do cultivo e estimativa da produção de culturas, monitorização das secas, mapeamento dos solos, análise de sistemas de cultivo e geração de avisos agrícolas, além do programa de Cooperação Técnica e Económica (ITEC), que oferece formação. O secretário de Estado  da Agricultura do Empreendedorismo  Agrícola,   Carlos Alberto, disse que os dois países devem transformar as relações comerciais em relações de investimento empresarial, permitindo estabelecer parcerias no domínio da agricultura.

O objectivo é fazer com que as  empresas indianas que cooperam com empresas angolanas façam parcerias e trabalhem juntos na cadeia de produção,  principalmente nos produtos da sexta básica, disse Carlos Alberto, para acrescentar: “Devemos passar da produção interna e pensar na exportação.”

A Índia lidera a nível mundial a produção de café, algodão, carne de vaca e aves e tem muito para oferecer no domínio de frutas e cereais, legumes, leite e especiarias. A Índia é o segundo maior produtor mundial de trigo e arroz. Os empresários angolanos podem criar parcerias, com instalação de fábricas para transformar os produtos do campo, ajudando desta forma os camponeses a transformar os excedentes.



Impulso às relações



O encontro é da iniciativa da Embaixada da  Índia e da Câmara de Comércio Angola-Índia, e visa dar impulso às relações entre os dois países que, actualmente, estão mais viradas para o comércio, medicamentos e fornecimento de equipamentos para  agricultura. 

O secretário-geral da Câmara de Comércio e Indústria Angola-Índia  disse que o encontro reflectiu sobre o sector agrícola com representantes de empresas indianas, para troca de experiências no ramo de fertilizantes, sementes e tecnologia e do desenvolvimento da agricultura. Caetano Capitão garantiu a promoção de parcerias entre empresas angolanas e indianas, numa altura em que é crescente o interesse dos dois lados. A Índia tem potencial na formação do capital humano, tanto para agricultura e tecnologias associadas que  utilizam derivados agrícolas. 

A Câmara de Comércio e Indústria Angola-Índia foi criada  em 2016. Participaram na reunião o cônsul honorário de Angola na Índia em Chennai, o presidente da Confederação de Associação de Camponeses e Cooperativas Agrícolas de Angola (UNACA).

Copyright © da fonte (mencionado acima). Todos os direitos reservados. O Land Portal distribui materiais sem a permissão do proprietário dos direitos autorais com base na doutrina de “uso justo” dos direitos autorais, o que significa que publicamos artigos de notícias para fins informativos e não comerciais. Se você é o proprietário do artigo ou relatório e gostaria que ele fosse removido, entre em contato conosco pelo endereço hello@landportal.info e removeremos a publicação imediatamente.

Várias notícias relacionadas à governança da terra são publicadas no Land Portal todos os dias pelos nossos usuários, partindo de várias fontes, como organizações de notícias e outras instituições e indivíduos, representando uma diversidade de posições sobre cada tópico. Os direitos autorais estão na origem do artigo; a fundação não tem o direito legal de editar ou corrigir o artigo, nem endossar o seu conteúdo. Para fazer correções ou solicitar permissão para republicar ou outro uso autorizado deste material, entre em contato com o detentor dos direitos autorais.

Compartilhe esta página