São Tomé e Príncipe: cooperação agrícola com a China contribui para erradicação da pobreza | Land Portal

No dia 11 de maio, a Embaixada da China em São Tomé e Príncipe, juntamente com o Comité Nacional da Juventude de São Tomé e Príncipe, visitou a aldeia de Caldeiras, um modelo de erradicação de pobreza no centro do país e realizou o Diálogo "Redução da Pobreza Juvenil".

Representantes de jovens do grupo de especialistas em ajuda chinesa em São Tomé e Príncipe e empresas financiadas pela China, bem como membros do Comitê Nacional da Juventude de São Tomé e Príncipe, discutiram a experiência da China no alívio da pobreza e como ajudar São Tomé e Príncipe a melhorar a sua capacidade de desenvolvimento.

Os jovens dos dois países visitaram conjuntamente os locais de demonstração de tecnologia agrícola, como fornos que economizam lenha e energia, estufas de cultivo de vegetais e galinheiros. Especialistas do grupo de tecnologia agrícola disseram que os fornos podem economizar cerca de 50% da lenha e tem as vantagens de elevada capacidade de aquecimento, baixas emissões, limpeza e higiene, etc. As estufas são à prova de mau tempo, permitindo uma grande variedade de produtos cultivados. Os projetos acima referidos são localizados e melhorados com base em experiências obtidas pela China, podendo no futuro ser promovidos em vários locais de São Tomé e Príncipe.

No simpósio "Diálogo de Redução da Pobreza Juvenil", Hu Bin, Conselheiro Político da Embaixada da China em São Tomé e Príncipe, partilhou a experiência da China na eliminação da pobreza absoluta e na cooperação internacional para a redução da pobreza. Os diplomatas da embaixada focaram-se na saúde e redução da pobreza, agricultura, desenvolvimento rural, conservação energética, redução de emissões, sustentabilidade, ecoturismo, educação, entre outros.

O presidente da Comissão da Juventude de São Tomé e Príncipe, os meios de comunicação social e os representantes das aldeias fizeram discursos, expressando profunda admiração pelas conquistas da China na redução da pobreza, agradecendo o apoio a São Tomé e Príncipe.

Enquanto um dos países menos desenvolvidos do mundo, a agricultura é um dos pilares econômicos de São Tomé e Príncipe. A cooperação agrícola é uma importante área de cooperação entre a China e São Tomé e Príncipe. Desde há muito que a China adere ao princípio de que “dar um peixe a um homem é pior do que ensinar um homem a pescar”, sendo que o foco da cooperação bilateral passa por ajudar São Tomé e Príncipe a melhorar suas capacidades de desenvolvimento independente.

Hu Bin, em declarações ao Diário do Povo Online, afirmou que especialistas chineses em agricultura e pecuária têm realizado ativamente demonstrações e campanhas de formação sobre tecnologias práticas, como plantio de cereais e vegetais, criação de gado e de aves em São Tomé e Príncipe.

O projeto Aldeia Demonstrativa da Redução da Pobreza de São Tomé e Príncipe - Caldeiras, foi lançado em dezembro de 2020 e apresentado oficialmente em março de 2022. De acordo com Hu Bin, o objetivo do evento é reunir jovens da China e São Tomé e Príncipe na aldeia de demonstração para realizar conjuntamente "investigações de campo" e intercâmbios abertos que permitam aprofundar a compreensão e experiência mútua no campo da erradicação da pobreza. 

Copyright © da fonte (mencionado acima). Todos os direitos reservados. O Land Portal distribui materiais sem a permissão do proprietário dos direitos autorais com base na doutrina de “uso justo” dos direitos autorais, o que significa que publicamos artigos de notícias para fins informativos e não comerciais. Se você é o proprietário do artigo ou relatório e gostaria que ele fosse removido, entre em contato conosco pelo endereço hello@landportal.info e removeremos a publicação imediatamente.

Várias notícias relacionadas à governança da terra são publicadas no Land Portal todos os dias pelos nossos usuários, partindo de várias fontes, como organizações de notícias e outras instituições e indivíduos, representando uma diversidade de posições sobre cada tópico. Os direitos autorais estão na origem do artigo; a fundação não tem o direito legal de editar ou corrigir o artigo, nem endossar o seu conteúdo. Para fazer correções ou solicitar permissão para republicar ou outro uso autorizado deste material, entre em contato com o detentor dos direitos autorais.

Compartilhe esta página