Japão doa US$ 7,6 milhões para sustentabilidade e a ação humanitária em Moçambique | Land Portal

Foto: CIFOR/Flickr

Quantia atenderá moradores do norte do país e será implementada pelas agências da ONU em parceria com governo moçambicano; participam ONU Mulheres, PMA, Acnur, Unicef e Unesco com projetos para milhares de pessoas nas províncias de Nampula e Cabo Delgado. 

O Governo do Japão anunciou, neste 1 de março, o compromisso de US$ 7,6 milhões em financiamento para Moçambique. O objetivo é realizar ações imediatas para salvar milhares de vidas sob risco no norte do país africano. 

A quantia deve apoiar a luta contra a insegurança e a pandemia, assim como a promoção de uma conduta empresarial responsável nas províncias de Nampula e Cabo Delgado. 

Medidas imediatas 

Sob a liderança do Governo de Moçambique, em coordenação com as principais instituições nacionais, o apoio do Japão será implementado através de cinco agências: ONU Mulheres, PMA, Acnur, Unicef e Unesco.  

Segundo a ONU, a doação do Japão é oportuna e chega num momento em que a situação no norte de Moçambique começa a ficar ainda mais complexa. 

Para representante da ONU Mulheres, Marie Laetitia Kayisire, é urgente a combinação de medidas imediatas para salvar vidas com respostas de médio e de longo prazo, tendo em conta Ação Humanitária, Desenvolvimento e Pacificação. 

Kits de dignidade 

“Os recursos recebidos do Governo do Japão que são US$ 1 milhão permitirão à ONU Mulheres ajudar 1,5 mil jovens mulheres e homens entre os 15-24 anos com assistência humanitária baseada em vouchers eletrônicos para satisfazer as suas necessidades alimentares imediatas e kits de dignidade.” 

Aceder a competências digitais, vocacionais e de empregabilidade para tirar partido das oportunidades de emprego, e reduzir a radicalização entre os jovens nos distritos de Chiúre e Ancuabe em Cabo Delgado, é outro benefício com que a ONU Mulheres irá implementar para os jovens. 

Já Pierre Lucas, diretor nacional adjunto do Programa Mundial para a Alimentação, PMA, conta que o apoio servirá para cobrir as necessidades alimentares e nutricionais imediatas das populações afetadas pelo conflito no norte de Moçambique, e dos refugiados no campo de reassentamento de Maratane, província de Nampula. 

Insegurança alimentar 

“A contribuição de 1,8 milhões de dólares do Japão ocorre em um momento crítico, já que as tendências de deslocamento interno continuam a ser preocupantes, e a insegurança alimentar continua a ser um desafio significativo. Com este apoio era possível poder alimentar a cerca de 100 mil pessoas afetadas contribuindo significativamente para aliviar o sofrimento de homens e mulheres vulneráveis nas províncias do norte de Moçambique”. 

O Acnur recebeu US$ 1 milhão que para atender as necessidades urgentes de assistência e proteção das comunidades deslocadas. A identificação e encaminhamento para sistemas de gestão de casos de sobreviventes e pessoas em risco de violência baseada no gênero e pessoas com deficiências é também prioridade. 

O Financiamento cedido à Unesco será para a promoção do empoderamento da juventude e das mulheres bem como na proteção dos direitos humanos e da paz na província de Cabo Delgado.  

Diálogo para reconciliação 

Com base noutras iniciativas em curso, o projeto visa beneficiar mais de 15 mil jovens e mulheres nos distritos de Metuge e Ancuabe. Paul Gomis, Representante da Unesco em Moçambique, explica o tocante à sua agência. 

“É neste contexto que o governo do Japão alocou cerca de US$ 1, 2 milhões para apoio adicional à educação para reforçar de competências para a vida de jovens, promoção e diálogo para paz e reconciliação.” 

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, foi a agência que teve o maior apoio com cerca de US$ 2,6 milhões. A representante da agência, Maria Luisa Fornara, elogiou a parceria que vai ajudar na resposta focalizada na criança às necessidades humanitárias de Saúde e Nutrição em Nampula e Cabo Delgado. 

Segurança para mulheres e crianças 

“Esta parceria irá apoiar uma resposta atempada a novas e repentinas deslocações através das províncias altamente carenciadas de Cabo Delgado e Nampula, e irá promover a segurança humana para as mulheres e crianças de Moçambique. Quero transmitir a nossa contínua gratidão pelo empenho do Governo de Moçambique, e parceiros, na implementação deste projeto, que visa atingir mais de 170 mil pessoas nas províncias de Nampula e Cabo Delgado.” 

O Governo do Japão que é um parceiro de longa data das Nações Unidas e das organizações internacionais em Moçambique, reafirmou que continuará a apoiar a luta de Moçambique contra a insegurança e a pandemia, assim como a promoção de uma conduta empresarial responsável. 

De Maputo para ONU News, Ouri Pota. 


 

 

Copyright © da fonte (mencionado acima). Todos os direitos reservados. O Land Portal distribui materiais sem a permissão do proprietário dos direitos autorais com base na doutrina de “uso justo” dos direitos autorais, o que significa que publicamos artigos de notícias para fins informativos e não comerciais. Se você é o proprietário do artigo ou relatório e gostaria que ele fosse removido, entre em contato conosco pelo endereço hello@landportal.info e removeremos a publicação imediatamente.

Várias notícias relacionadas à governança da terra são publicadas no Land Portal todos os dias pelos nossos usuários, partindo de várias fontes, como organizações de notícias e outras instituições e indivíduos, representando uma diversidade de posições sobre cada tópico. Os direitos autorais estão na origem do artigo; a fundação não tem o direito legal de editar ou corrigir o artigo, nem endossar o seu conteúdo. Para fazer correções ou solicitar permissão para republicar ou outro uso autorizado deste material, entre em contato com o detentor dos direitos autorais.

Compartilhe esta página