Em Cabo Delgado, PMA apoia ação de deslocados para enfrentar crise climática | Land Portal

Foto: F Mira/Flickr

Capital provincial, Pemba, desenvolve projeto avaliado em US$ 1 milhão envolvendo 460 voluntários; mais de metade é foi obrigada a deixar áreas de origem e parte restante integra comunidade anfitriã de Alto Gingone; mulheres são a maioria da força de trabalho.

A comunidade de deslocados e famílias anfitriãs atua para melhorar o sistema de drenagem no bairro Alto Gingone na cidade de Pemba, província moçambicana de Cabo Delgado. A área abriga pessoas que deixaram as áreas afetadas pelo terrorismo no extremo norte da região.

A iniciativa apoiada pelo Programa Mundial de Alimentação, PMA, visa criar soluções para cerca de 167 mil deslocados que vivem na cidade sob pressão na partilha de recursos e do espaço urbano.

Melhoria do sistema de drenagem

O projeto de melhoria do sistema de drenagem e gestão de resíduos sólidos nos bairros de Josina Machel e Alto Gingone é uma iniciativa da comunidade. 

Para o responsável pela Unidade de Engenharia do PMA, Luca Sapegno, o projeto faz parte do desenvolvimento dos planos liderados pelo município de Pemba e pela Fundação Avsi. Nesta ação, o PMA destaca três objetivos principais. 

“Aumentar a resiliência aos eventos climáticos extremos diminuindo o risco de alagamento durante a época de chuva intensa; providenciar assistência alimentar as pessoas mais vulneráveis que vivem na área e melhorar; O relacionamento entre a comunidade acolhedora e os deslocados. Para desenvolver um conjunto de soluções sustentáveis e duradouras tivemos que implementar várias atividades preliminares, o levantamento topográfico, o modelo hidrológico mapeando as águas pluviais na área e um estudo das várias soluções técnicas para os canais e os talhões de infiltração.” 

Os bairros de Josina Machel e Alto Gingone foram selecionados por acolher mais pessoas procuradas pelos deslocados, assim como os moradores que se mostram preocupados com a gestão de resíduos em Pemba.

Orçamento 

A parceria entre o PMA e a Fundação Avsi, a comunidade e residentes mais antigos do Alto Gingone, resultou na jornada conjunta de aumentar a resiliência de 25 hectares contra os efeitos negativos das chuvas e inundações.

“Implementamos atividades de limpeza, escavação e finalmente a construção. Entre a fase 1 e 2, o projeto terá a duração de um ano e um orçamento de cerca de US$ 1 milhão. Isso inclui o custo de equipa técnica de Avsi, todas fases do projeto, o material de construção, o equipamento de proteção, as ferramentas para trabalho, o suporte ao município na gestão do lixo e a assistência alimentar.” 

O PMA e a Avsi desenvolveram em conjunto, uma iniciativa voluntária da rede de drenagem com cerca de 1500 metros de comprimento. A meta é prevenir a erosão e as inundações recorrentes na cidade de Pemba.

Projetos futuros 

A agência afirma que as obras começaram em maio do corrente ano. A primeira fase consistiu na limpeza de 25 hectares correspondente a área de influência dos canais de drenagem. 

Atualmente cerca de 460 residentes da comunidade estão a trabalhar para reabilitar canais de drenagem existentes e construir novas rotas de drenagem. Para PMA este processo poderá melhorar o escoamento da água da chuva e proteger mais de 250 casas vulneráveis.

“Nós estamos convencidos que este tipo de projeto participativo tem vários benefícios além de a infraestrutura em si. Os beneficiários aprendem o trabalho, a comunidade se apropria da infraestrutura, pessoal da comunidade acolhedora e os deslocados trabalham juntos desenvolvendo laços e diminuindo a tensão social que existe na área. No futuro achamos que seria interessante replicar e expandir este tipo de intervenção, claramente isso depende de disponibilidade de fundos. Desafios urbanos a serem resolvidos certamente não faltam.” 

Dados do PMA indicam que dos 460 trabalhadores voluntários do projeto, 244 são deslocados e 216 são nativos do bairro Alto Gingone. A maioria dos trabalhadores são mulheres totalizando 330.

Estabelecimentos comerciais

O Programa de Restauração de Meios de Vida do PMA oferece a oportunidade para os participantes do projeto recebam senhas monetárias que podem ser trocadas por alimentos em estabelecimentos comerciais nas proximidades.

Para reduzir o volume de água de escoamento superficial e reduzir a pressão no sistema de drenagem da cidade, o projeto está a criar áreas verdes.

A meta é aumentar a permeabilidade do solo com as bacias de infiltração e jardins de chuva em áreas públicas e ao longo das vias em 250 talhões a redor das valas de drenagem.

De Maputo para ONU News, Ouri Pota.

Copyright © da fonte (mencionado acima). Todos os direitos reservados. O Land Portal distribui materiais sem a permissão do proprietário dos direitos autorais com base na doutrina de “uso justo” dos direitos autorais, o que significa que publicamos artigos de notícias para fins informativos e não comerciais. Se você é o proprietário do artigo ou relatório e gostaria que ele fosse removido, entre em contato conosco pelo endereço hello@landportal.info e removeremos a publicação imediatamente.

Várias notícias relacionadas à governança da terra são publicadas no Land Portal todos os dias pelos nossos usuários, partindo de várias fontes, como organizações de notícias e outras instituições e indivíduos, representando uma diversidade de posições sobre cada tópico. Os direitos autorais estão na origem do artigo; a fundação não tem o direito legal de editar ou corrigir o artigo, nem endossar o seu conteúdo. Para fazer correções ou solicitar permissão para republicar ou outro uso autorizado deste material, entre em contato com o detentor dos direitos autorais.

Compartilhe esta página