Piora da situação alimentar afeta 25 milhões de pessoas no Sudão | Land Portal

Foto: Evan Schneider/UN Photo/Flickr (CC BY-NC-ND 2.0)

PMA alerta sobre catástrofe humanitária iminente na região; maioria dos sudaneses enfrentando fome e desnutrição vive em áreas onde os combates estão ativos; Sudão do Sul e Chade sofrem maior impacto do conflito.

Pelo menos 25 milhões de pessoas são afetadas pelo aumento da fome e da subnutrição no Sudão num momento em que a crise “envia ondas de choque por toda a região”.

Nesta segunda-feira, o Programa Mundial de Alimentos, PMA, destaca que milhares de famílias são forçadas a fugir semanalmente para o Chade e o Sudão do Sul, países que sofrem o impacto do conflito sudanês. 

Maior crise de deslocamento do mundo

O diretor Regional do PMA para a África Oriental, Michael Dunford, visitou a cidade fronteiriça de Renk, no Sudão do Sul. Ele destacou a rapidez com que a situação sudanesa se tornou a maior crise de deslocamento do mundo.

Sobre a guerra com quase um ano, Dunford declarou não haver sinais de redução de famílias que fogem através das fronteiras. Crianças e mulheres “que atravessam para o Sudão do Sul ou para o Chade estão com fome e chegam sem recursos”.

Renk acolheu meio milhão de pessoas que fugiram da guerra que eclodiu em abril passado entre as Forças Armadas do Sudão, SAF, e os paramilitares das Forças de Apoio Rápido, RSF.

O conflito agravou a fome e a subnutrição aguda no Sudão desde e o PMA estima que 18 milhões de pessoas não sabem de onde virá a sua próxima refeição. Pelo menos 3,8 milhões de crianças sudanesas menores de cinco anos estão subnutridas.

Atuação da comunidade humanitária

De acordo com a agência, a maioria dos sudaneses enfrentando fome e desnutrição estão presos em áreas onde os combates estão ativos. Nessas regiões, o foco da atuação da comunidade humanitária é manter um acesso consistente.

Segundo as entidades de auxílio, as pessoas que conseguem escapar se deslocam a áreas como o Sudão do Sul ou o Chade, agravando a já terrível situação humanitária nesses países.

Mais de 553 mil sudaneses vivem em território sudanês após fugirem do conflito, principalmente de Darfur. Cerca de 40% das crianças refugiadas observadas numa clínica de emergência num campo de acolhimento sofriam de subnutrição aguda.

O PMA alerta para a iminência de uma catástrofe de fome arrasadora com o aumento das necessidades alimentares e nutricionais no Sudão, no Sudão do Sul e no Chade. 

Para os próximos seis meses a assistência humanitária é vital e requer US$ 300 milhões em meio ao déficit de financiamento.

 


 

 

Copyright © da fonte (mencionado acima). Todos os direitos reservados. O Land Portal distribui materiais sem a permissão do proprietário dos direitos autorais com base na doutrina de “uso justo” dos direitos autorais, o que significa que publicamos artigos de notícias para fins informativos e não comerciais. Se você é o proprietário do artigo ou relatório e gostaria que ele fosse removido, entre em contato conosco pelo endereço hello@landportal.info e removeremos a publicação imediatamente.

Várias notícias relacionadas à governança da terra são publicadas no Land Portal todos os dias pelos nossos usuários, partindo de várias fontes, como organizações de notícias e outras instituições e indivíduos, representando uma diversidade de posições sobre cada tópico. Os direitos autorais estão na origem do artigo; a fundação não tem o direito legal de editar ou corrigir o artigo, nem endossar o seu conteúdo. Para fazer correções ou solicitar permissão para republicar ou outro uso autorizado deste material, entre em contato com o detentor dos direitos autorais.

Compartilhe esta página