Angola quer empresários franceses no desenvolvimento agrícola do país | Land Portal

Foto: Agência Brasília/Flickr

O Governo angolano convidou hoje os empresários franceses do setor agrícola e agroalimentar a participarem no desenvolvimento agrícola do país lusófono, referindo que Angola explora apenas entre 5% a 10% dos 58 milhões de hectares disponíveis para cultivo.

É bastante satisfatório e sentimo-nos também lisonjeados de saber que França e seus empresários também pretendem participar no desenvolvimento deste grande setor, o país tem grandes potencialidades, temos mais de 58 milhões de hectares disponíveis para o cultivo", disse hoje o secretário de Estado da Agricultura e Pecuária angolano, João Manuel da Cunha.

Falando na abertura do Fórum Económico Angola-França, em Luanda, realizado no âmbito da visita oficial do Presidente de França, Emmanuel Macron, a Angola, o governante angolano destacou as potencialidades agrícolas do país, considerando que estas devem ser transformadas em verdadeiras riquezas para o país.

Segundo João Manuel da Cunha, Angola detém a nível da região o segundo maior reservatório de água, "com rios e muitas bacias hidrográficas, um clima que permite produzir durante todo o ano e pluviometria bastante elevada".

"Temos um clima bom, todas essas potencialidades pretendemos agora que sejam transformadas em verdadeiras riquezas para o país".

No fórum de lançamento de uma parceria de produção entre França e Angola no setor agrícola e agroalimentar, que decorre até sexta-feira na capital angolana, o secretário de Estado angolano referiu que o setor agrícola em Angola "está em franco desenvolvimento" e constitui "a base de desenvolvimento".

"O Presidente da República, João Lourenço, tem definido no seu programa o desenvolvimento da agricultura como o setor-chave e assim está a ser feito", disse.

"Convidamos para esta grande empreitada os empresários franceses, o nosso país está aberto, foram feitas melhorias significativas para que o ambiente de negócios seja cada vez melhor", notou.

Mais de 30 empresários franceses do setor agrícola e agroalimentar participam no fórum, juntamente com dezenas de empresários angolanos, numa ação que procura igualmente novas parcerias e solidificação de outras.

O presidente do conselho de administração da Agência de Investimento Privado e Promoção das Exportações (AIPEX) angolana, Lello João Francisco, destacou as reformas no setor macroeconómico em Angola e no ambiente de negócios, referindo que o país atingiu "estabilidade fiscal".

"Foram também feitas importantes reformas no quadro do ambiente de negócios, temos uma nova Lei do Investimento Privado, que essencialmente visa facilitar o investimento, mas sobretudo facilitar a interação entre os empresários angolanos e empresários estrangeiros", frisou.

Empresários franceses dos setores da transformação de proteína animal, produção de sementes, leite, produtos de irrigação agrícola e outros já com experiência no continente africano, que participaram neste primeiro dia do fórum, manifestaram disposição em estabelecer parcerias em Angola.

O Forum, que decorre no Museu da Moeda, em Luanda, deve contar na sexta-feira com a presença do chefe de Estado francês, Emmanuel Macron, que chega à capital angolana no princípio da noite desta quinta-feira.

Copyright © da fonte (mencionado acima). Todos os direitos reservados. O Land Portal distribui materiais sem a permissão do proprietário dos direitos autorais com base na doutrina de “uso justo” dos direitos autorais, o que significa que publicamos artigos de notícias para fins informativos e não comerciais. Se você é o proprietário do artigo ou relatório e gostaria que ele fosse removido, entre em contato conosco pelo endereço hello@landportal.info e removeremos a publicação imediatamente.

Várias notícias relacionadas à governança da terra são publicadas no Land Portal todos os dias pelos nossos usuários, partindo de várias fontes, como organizações de notícias e outras instituições e indivíduos, representando uma diversidade de posições sobre cada tópico. Os direitos autorais estão na origem do artigo; a fundação não tem o direito legal de editar ou corrigir o artigo, nem endossar o seu conteúdo. Para fazer correções ou solicitar permissão para republicar ou outro uso autorizado deste material, entre em contato com o detentor dos direitos autorais.

Compartilhe esta página