Países africanos concluem planejamento de projeto para apoiar agricultores do algodão | Land Portal
Foi concluída nesta semana a fase de planejamento da iniciativa “Além do Algodão” em Benim, Quênia, Moçambique e Tanzânia. O programa tem o objetivo de impulsionar a geração de renda de agricultores familiares e aumentar a segurança alimentar e nutricional em áreas rurais dos quatro países participantes.


 


A iniciativa é um trabalho conjunto do Centro de Excelência contra a Fome — fruto de uma parceria entre o governo brasileiro e o Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas — e da Agência Brasileira de Cooperação (ABC), com apoio do Instituto Brasileiro do Algodão.


 


O projeto apoia agricultores familiares de algodão e instituições públicas dos quatro países africanos a conectar os subprodutos do algodão — como óleo e torta — e culturas consorciadas — como milho, sorgo e feijão — a mercados estáveis, incluindo programas de alimentação escolar.


 


Uma equipe de especialistas esteve no Quênia e na Tanzânia de 4 a 15 de fevereiro para compartilhar a estratégia com atores locais e validar os principais aspectos da implementação do projeto nos dois países.


 


Um processo similar de validação foi feito em Benim e Moçambique em dezembro. A equipe “Além do Algodão” vai agora preparar projetos específicos para cada país, estabelecendo prioridades e guias para implementação.


 


Em muitos países produtores de algodão, o principal desafio é encontrar mercados estáveis para os subprodutos e produtos alimentares consorciados. Frequentemente, há um mercado garantido para a fibra do algodão, mas comercializar o óleo e a torta, obtidos a partir da semente, e as outras culturas plantadas em rotação pode ser difícil.


 


O lucro gerado pela comercialização da fibra do algodão não é suficiente para manter a família, e a demanda por fibra de algodão sustentável não é atendida, devido à falta de interesse dos agricultores familiares de investir nesse sistema de produção.


 


Ao estruturar melhor a cadeia de valor dos subprodutos e produtos associados, a iniciativa “Além do Algodão” vai aumentar a renda e melhorar a segurança alimentar e nutricional das famílias rurais, ampliar a produção agrícola e direcioná-la a programas de alimentação escolar, além de incentivar que mais agricultores familiares invistam na produção sustentável de algodão.


 


Quênia


 


No Quênia, o algodão é principalmente produzido por agricultores familiares em áreas áridas. Estima-se que a produção de algodão seja o meio de vida de 27 mil agricultores e, por isso, o setor foi identificado como estratégico na política do governo de combate à pobreza, conhecida como “Visão Quênia 2030”.


 


Durante a missão de uma semana, a equipe do “Além do Algodão” estabeleceu contatos entre instituições públicas e privadas nacionais, direta ou indiretamente ligadas ao setor algodoeiro no Quênia.


 


Eles também identificaram prioridades para a cadeia do algodão e elaboraram e compartilharam com atores locais os eixos estratégicos do projeto do país. Outro objetivo da missão foi chegar a um consenso sobre os mecanismos de coordenação e de implementação técnica da iniciativa, os próximos passos e as responsabilidades de cada ator.


 


Tanzânia


 


Na Tanzânia, a missão técnica discutiu com atores nacionais como integrar de forma complementar a iniciativa “Além do Algodão” a outros projetos do setor algodoeiro, ao programa de alimentação escolar e às políticas de nutrição.


 


Eles apresentaram a iniciativa e sua metodologia aos atores locais e trabalharam juntos para estabelecer as prioridades estratégicas do “Além do Algodão” no país.


 


A equipe estabeleceu contatos entre instituições locais vinculadas ao setor algodoeiro, tanto do setor privado quanto do público. Discutiram com os principais atores os eixos estratégicos do projeto de país e os mecanismos de coordenação para a implementação da iniciativa, os próximos passos e as responsabilidades de cada um.

Copyright © Source (mentionné ci-dessus). Tous droits réservés. Le Land Portal distribue des contenus sans la permission du propriétaire du copyright sur la base de la doctrine "usage loyal" du droit d'auteur, ce qui signifie que nous affichons des articles de presse pour des fins d'information non commerciales. Si vous êtes le propriétaire de l'article ou d'un rapport et que vous souhaitez qu'il soit retiré, s'il vous plaît nous contacter à hello@landportal.info et nous le supprimerons immédiatement.

Divers articles de presse liés à la gouvernance foncière sont publiés sur le Land Portal chaque jour par ses utilisateurs, à partir de diverses sources, telles que les agences de presse et d'autres institutions et individus, ce qui représente une diversité de positions sur tous les sujets. Le droit est à la source de l'article; la Land Portal Foundation n'a pas le droit de modifier ou de corriger l'article, ni d'endosser son contenu. Pour apporter des corrections ou demander la permission de republier ou toute autre utilisation de ce contenu, merci de contacter le titulaire du droit d'auteur.

Partagez cette page